“Sobremesa?” – O que essa inocente pergunta pode nos mostrar sobre nosso poder de DECISÃO

Sobremesa

Algumas pessoas tem uma facilidade imensa para se decidir, outras nem tanto e algumas nem tentam…

O fato é que para você assumir as rédeas da sua vida e viver os planos que você fez para si ao invés de apenas concretizar os planos dos outros, você precisará inevitavelmente saber lidar com as decisões.

A vida é feita de escolhas…

A todo momento somos expostos a opções: assistir o programa A ou B? Comer tranqueira ou comida saudável? Fazer ou não exercícios? Levantar da cama ou acionar o “soneca”? Assumir riscos ou dar preferência à segurança? Seguir carreira acadêmica ou ir para o mercado?

Você é o resultado das suas escolhas e, se você não está satisfeito com o que é hoje, talvez consiga identificar no passado quais foram as escolhas equivocadas que fez. Por outro lado, se você se sente realizado consigo mesmo, também deve saber quais foram decisões que o levaram aonde está hoje. Ao fazer essa retrospectiva, pode ser que você tenha percebido que é em momentos de decisão que nosso futuro é traçado.

E agora, José?

Se você é uma das pessoas que não tem muita aptidão em tomar decisões ou se você é daquelas que sempre que pode evita ter que fazer uma escolha, pode ser que tenha batido um desconforto ao perceber que terá sim que decidir-se para ser o condutor da sua própria vida.

Se esse é o seu caso, eu tenho uma boa e uma má notícia para você!

A parte boa é que o poder de decisão é uma habilidade e toda habilidade pode ser desenvolvida com: conhecimento, prática e repetição!

A ruim é que prática e repetição, repetição, repetição, repetição…. Demandam tempo, energia, auto percepção e persistência. É simples, mas não é fácil.

Daí já vem a primeira decisão: vale apena se empenhar para desenvolver essa habilidade?

Se não valer a pena, está tudo bem, não tem problema nenhum! Se valer, se joga que eu tenho mais uma notícia que pode te ajudar!

Qual sobremesa a senhorita deseja?

Eu era uma pessoa que não decidia nada, nem a sobremesa! Eu sempre queria saber qual a sugestão das pessoas que estavam comigo. Se eu não decidia nem a sobremesa, imagine o meu desespero quando se tratava de algo mais complexo…

Foi na academia que eu tive uma luz: quando você começa a treinar musculação, você começa com os pesos mais levinhos, você vai criando massa muscular e aumenta gradativamente o peso. A mesma coisa acontece quando você começa a correr, suas primeiras corridas são de 1 minuto a cada 5 de caminhada, aos poucos você vai aumentando o tempo e a velocidade com que corre.

Uau! É isso! Eu não preciso começar com as decisões grandes! Vou treinar com as menores e aumentar gradativamente!

A cada decisãozinha que eu ia tomando, eu ia me conhecendo mais, além de criar estratégias para se decidir melhor já que um erro em decisões pequenas não representam riscos significativos.

Um passinho de cada vez

Com esses passinhos que eu ia dando de cada vez, aos poucos eu fortaleci o músculo da decisão e enfraqueci aquele bichinho responsável pelo desespero que surgia sempre que opções eram mostradas a mim.

Eu estaria mentindo se dissesse que hoje sou a melhor tomadora de decisões dos últimos tempos, mas afirmo com certeza de que não sofro mais quando tenho que optar por alguma coisa, consigo racionalizar e assumir a responsabilidade por aquilo que eu entendi que era o melhor para o momento. Se der certo, perfeito! Se não der, está tudo bem, eu aprendo e tento outra opção.

E você, já decidiu qual sobremesa vai querer hoje?