Sobre mim

Olá!
Eu sou Adriana Coyado

Minha carreira profissional começou no mundo corporativo

Sou graduada em Ciências da Computação e pós-graduada em Engenharia de Software. Trabalhei durante mais de 8 anos na área de TI, sendo os últimos 4 como coordenadora de projetos e líder de equipe.

Eu sempre desempenhei um ótimo trabalho, recebia bons feedbacks, gerava resultados para a empresa, mas mesmo assim tinha uma inquietação aqui dentro ligada à falta de realização profissional. Eu sentia que faltava algo mais, parecia que faltava uma pecinha... 

A liderança caiu no meu colo mesmo eu não sabendo lidar com pessoas. Confesso que fiquei assustada no início, mas resolvi enfrentar o desafio! Afinal, não queria desapontar a confiança e credibilidade que meu gestor me dera. 

Buscando melhor servir aos meus liderados, eu estudei muito sobre desenvolvimento pessoal e gestão de pessoas, até que fui direcionada a fazer a formação em Coaching. 

Durante esse período, eu não apenas estudava, mas também aplicava em mim as ferramentas e técnicas.

Isso me fez perceber quais eram minhas fortalezas, talentos, potencialidades e também as minhas limitações.

Percebi que muitas das minhas forças eu reneguei a minha vida toda!! Entretanto, eu notei que, quando as usava, eu me sentia plena, realizada, entrava no tal estado de flow.

Eu sou daquelas bem nerd, sabe?

Então eu segui à risca o curso de formação em Coaching, que pedia uma comprovação científica após o curso. Sendo assim, eu não apenas apliquei as técnicas com meus liderados, como também fiz uns atendimentos pro bono (gratuito) para gerar os dados da comprovação. 

Ao experimentar isso tudo, percebi que a atuação como coach me permitia usar os meus talentos, me fazia sentir realizada e também atendia os meus principais valores, alguns deles constantemente corrompidos no mundo corporativo. 

Enxerguei então a oportunidade de traçar um Plano B alinhado com quem eu sou e com o que acredito! Era como se eu tivesse achado a pecinha que estava faltando!

Iniciar a jornada e me manter nela não foi tão fácil assim

Eu tinha crenças e medos que me bloqueavam. Por mais que eu quisesse construir tudo isso, lá no fundo eu acreditava não ser capaz, que empreender não era para mim, que negócios era coisa de homem (o estereótipo de pessoa de negócios, para mim, era um homem de negócios). Além disso, não tinha coragem para me expor e morria de medo da crítica e do julgamento. 

despertando borboletas adriana coyado 19

Foi durante um processo de Coaching, que participei como coachee, que eu pude colocar luz nessas coisas que me bloqueavam e me libertar delas!

Depois que eu passei por tudo isso, eu refleti sobre quantas mulheres estão na mesma situação que eu estava no passado...

Quantas querem fazer algo mais significativo, que as permita externar todo o seu potencial, que faça seus olhos brilharem e ainda traga aquela sensação de que estão fazendo a diferença no mundo, mas acabam não fazendo por não se sentirem capazes, por não acreditarem em si mesmas, por terem medo ou não saber qual caminho seguir, qual o primeiro passo a ser dado. 

Essa reflexão trouxe a minha missão: ajudar mulheres na transição para o empreendedorismo, com foco em uma vida com mais realização e propósito. 

A mulher empoderada e realizada é também mais produtiva. Consequentemente, ela gera mais rentabilidade, alcança sua independência financeira e, com isso, conquista a verdadeira liberdade de escolha! 

Quando isso acontece, definitivamente, o lugar da mulher será onde ela quiser estar! 

Ser um agente de transformação que pode prover essa liberdade é o que me alimenta todos os dias e me impulsiona a fazer a diferença na vida dessas mulheres.

Para mim, não existe nada mais único nesse Universo do que cada uma de nós.

Eu acredito que nosso propósito de vida é nos permitir ser quem nascemos para ser, expressando nossos talentos e qualidades a fim de gerar valor na vida de alguém e deixar nossa marca no mundo.

Realização para mim é poder contribuir para que mais mulheres descubram e se permitam cumprir com o seu propósito, alinhando sua atividade profissional com quem elas são.