Queimar navios na transição para o empreendedorismo

despertando borboletas queimar navios_h

Se você está cogitando fazer a transição para o empreendedorismo, para poder viver de sua paixão e cumprir com seu propósito, pode ser que já tenha ouvido as expressões “Queimar navios” ou “Queimar a ponte” com o objetivo de despertar a coragem para enfrentar os desafios. Mas será que elas ajudam ou atrapalham? 🤔

💡 Se você nunca as ouviu, resumidamente, “Queimar navios” remete à atitude que Hernán Cortez, explorador espanhol, teve ao desembarcar no México. Sem os navios, seus homens tinham apenas duas opções: deveriam enfrentar com coragem o desconhecido e conquistar aquele território ou simplesmente iriam morrer.

Eu ouvi muito a frase “Queimar a ponte” quando estava fazendo a minha transição para viver de Coaching. Essa era a metáfora para “pedir demissão” e então focar 100% em fazer o negócio acontecer.

Por um lado, queimar a ponte pode sim motivar, aumentar o foco e dar força, principalmente para aquelas pessoas com dificuldade de ter autodisciplina. O fato de não ter mais a “segurança” do emprego pode funcionar como alavanca para o comprometimento e dedicação.

⚠️ Lembrando que eu, definitivamente, não recomendo largar o emprego sem uma reserva ou planejamento para que a pessoa física consiga viver de 6 meses a 1 ano sem contar com os rendimentos do negócio! Mas isso já é tópico para outro post.

Por outro lado, essas expressões podem potencializar ainda mais o medo que a empreendedora tem de “largar tudo” e empreender 😱😱😱 – e normalmente esse largar tudo tem a ver com inciar um negócio em outra área.

Quem empreende por oportunidade, provavelmente já conquistou muitos méritos em sua formação e carreira. “Largar tudo” potencializado com o “Queimar a ponte” traz à ela a sensação de jogar pro alto: anos de dedicação aos estudos e ao trabalho; investimento em cursos e/ou toda a carreira que ela construiu.

Pra ajudar, ela ainda ouve dos mais próximos: tanta gente queria ter seu emprego e você vai largar tudo?

Pensa no sentimento de culpa que bate ao ouvir isso…

Nessas, ela acaba estagnada. Sem implementar nenhuma mudança, com medo até de explorar possibilidades… Como resultado: apenas aumenta sua insatisfação e frustração por se dedicar tanto e não se sentir realizada 😢

Ou seja, ao invés de ajudar, o “Queimar navios, pontes ou seja lá o que for” só fez despertar mais medos e dúvidas.

🎇 Mas, olha só, vou te falar um negócio que vale ouro, pres’tenção:

Quando você faz a transição para o empreendedorismo, você não larga tudo!! Esse “tudo” faz parte de você! E de um jeito que ninguém consegue tirar de você! O que você viveu é seu e ninguém tira! Suas experiências fazem parte da sua bagagem!

Quando você faz a transição, não vem um agente do MIB com aquela canetinha apagar sua memória não, viu? E toda essa bagagem é justamente o que faz com que você possa criar seu diferencial!

O que você precisa para fazer a transição não é decidir se você vai ou não largar tudo (já que você não larga!), mas sim se empreender vai ou não lhe prover a realização e o estilo de vida que deseja.

Agora, para achar essas respostas, amiga, só com autoconhecimento! Por isso eu sou tão apaixonada e defendo tanto esse bichinho! Rsrs.

Esse post fez sentido pra você?