O surpreendente fato que nunca contaram a você sobre PREGUIÇA

corrida

Você tem mil ideias em mente, algumas revolucionárias e muito promissoras. Você até já se imagina fazendo acontecer, com a maior motivação e tendo muito sucesso em seu empreendimento!

preguiça

Mas, quando você chega do trabalho, toda essa motivação resolve sumir para um Universo Paralelo, para o qual você não faz ideia de como ir para resgatá-la!

Até bate aquela dorzinha na consciência, pois você sabe que poderia estar trazendo para o mundo real aquilo que até hoje só existiu no mundo das ideias, mas não dá! A preguiça é muita! Seu sofá se torna mais atraente que o Brad Pitt e você nem pensa em sair dele para fazer alguma coisa.

Isso aconteceu comigo durante um tempo. Quando eu me via nessa situação, batia uma culpa sem tamanho, pois eu sabia que eu era A RESPONSÁVEL pelos meus projetos e, ao invés de realizá-los, eu estava ali, jogada no sofá, vendo a vida alheia nas redes sociais. Você sabe o que é mais bizarro? Ao invés de essa culpa me impulsionar para a ação, ela me levava a outros comportamentos improdutivos.

Funcionava assim: Eu adiava minhas atividades >> Batia a culpa >> Doía >> Eu ficava triste >> Para amenizar a tristeza, eu fazia alguma coisa que eu gostava, por exemplo, comia uma besteira, assistia algo engraçado, batia papo com amigos pelo Facebook ou Whatsapp.

Resumo da história: eu não saía do lugar e ainda acabava me recompensando por não ter feito o que deveria fazer.

Resultado: mais culpa!

Que loucura, né?

Se você, assim como eu, é do tipo que se culpa por ser preguiçosa, talvez o que eu vou dizer a seguir lhe alivie a consciência: A PREGUIÇA FAZ PARTE DA NOSSA NATUREZA!

Sim! Isso não é culpa sua!  ufa

Muita coisa evoluiu, mas o funcionamento do nosso corpo não. Nós somos animais, e, assim como as girafas, leões, elefantes, cachorros, gatos e todos os outros, fomos moldados para gastar energia em apenas três situações: reprodução, alimentação e sobrevivência (fugir de predadores).

Por isso temos tanta preguiça de mexer o esqueleto ou mesmo de incluir hábitos que demandem maior consumo de energia. Pode parecer que não, mas o cérebro consome muita energia para manter as células cerebrais saudáveis e alimentar impulsos nervosos.

Foi a partir do momento em que eu descobri que a preguiça é algo da minha natureza, que eu fiz as pazes com ela! Passei a me aceitar como sou e a não me culpar. Só isso já garantiu que eu não entrasse mais no ciclo improdutivo e passasse a agir com mais racionalidade, conseguindo cumprir com minhas metas diárias, dando pequenos, mas constantes passos na direção do que eu queria.

Não se culpe por ser preguiçosa, mas também aconselho não esperar surgir uma vontade louca e divina de entrar em ação, pois chances são de que ela nunca aparecerá.

Você já deve ter ouvido a frase: “se está com medo, então vá com medo mesmo!”. Minha dica aqui é mudar um pouquinho essa frase para: “se está com preguiça, vai com preguiça mesmo!”.

Com o foco no resultado final, trabalhando um pouquinho por dia e com o lema “é só por hoje”, mais cedo ou mais tarde você chegará lá!

Boraaaaaaaaaaaaa!

conquista